Segurança do Trabalho

Sobre a Segurança do Trabalho...

Segurança do Trabalho - ProjertarMED

Segurança do Trabalho, O que é, Importância, Atividades, Como Funciona ?

Imagem guindastes, um trabalhador usando EPI e o símbolo da segurança do trabalho.

Segurança do trabalho é um conjunto de políticas, normas, procedimentos, atividades e práticas preventivas, que devem ser adotadas com o objetivo de melhorar o ambiente laboral e prevenir acidentes do trabalho e doenças ocupacionais.

É uma atividade multidisciplinar relacionada com a segurança, saúde e qualidade de vida das pessoas em suas ocupações laborativas e que faz uso de metodologias e técnicas apropriadas.

Visa a preservação da integridade física e mental dos trabalhadores e a continuidade do processo produtivo

  • Atividade Principal: Prevenção de acidente do trabalho;
  • Objetivo: Eliminar ou controlar os riscos potenciais de acidentes;
  • Profissionais: Engenheiros e técnicos segurança do trabalho;
  • Programas: PPRA, SIPAT, DDS, ETC;
  • Legislação: Constituição Federal Brasil, C.L.T., Legislação: LEI Nº 8.213, DE 24 DE JULHO DE 1991, Portaria GM n.º 3.214 do Ministério do Trabalho.

Índice do Conteúdo

 

  1. Definição de Segurança do Trabalho
  2. Finalidade da Segurança do Trabalho
  3. Objetivos da Segurança do Trabalho
  4. O que faz a Segurança do Trabalho?
  5. Importância da Segurança do Trabalho
  6. Legislação sobre Segurança do Trabalho
  7. Conceito Legal de Acidente do Trabalho
  8. Conceito Prevencionista do Acidente de Trabalho
  9. Causas dos Acidentes do Trabalho
  10. Consequências dos Acidentes do Trabalho
  11. Medidas Preventivas
  12. Equipamentos de Proteção Individual EPI
  13. Equipamentos de Proteção Coletiva EPC
  14. Quem são os responsáveis pela segurança do trabalho?
  15. Resumo das Responsabilidades
  16. SESMT
  17. Profissionais da Segurança do Trabalho
  18. Profissionais da Segurança do Trabalho
  19. Programas de Segurança do Trabalho
  20. Sistema de Gestão da Segurança do Trabalho
  21. Quais as principais dúvidas sobre segurança do trabalho?
  22. Participação do Leitor
  23. Dados para Citação em Trabalhos
  24. Referências Bibliográficas

 

 

Voltar para o Índice

 

  1. DEFINIÇÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

Segurança do trabalho é um conjunto de políticas, normas, procedimentos, atividades e práticas preventivas, que devem ser adotadas com o objetivo de melhorar o ambiente laboral e prevenir acidentes do trabalho e doenças ocupacionais.

 

É uma atividade multidisciplinar relacionada com a segurança, saúde e qualidade de vida das pessoas em suas ocupações laborativas e que faz uso de metodologias e técnicas apropriadas.

 

Pode ser entendida como a ciência que, através de metodologias e técnicas apropriadas, estuda as possíveis causas de acidentes do trabalho e doenças ocupacionais, objetivando a prevenção de sua ocorrência.

 

Visa a preservação da integridade física e mental dos trabalhadores e a continuidade do processo produtivo

 

A segurança do trabalho envolve uma série de medidas técnicas, administrativas, médicas e, sobretudo, educacionais e comportamentais, empregadas a fim de prevenir acidentes, e eliminar condições e procedimentos inseguros no ambiente de trabalho.

 

 

Voltar para o Índice

 

  1. FINALIDADE DA SEGURANÇA DO TRABALHO

A segurança do trabalho visa evitar que o acidente de trabalho ocorra, ou seja, aquilo que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte, perda ou redução permanente ou temporária da capacidade para o trabalho.

 

A principal finalidade da segurança do trabalho é promover a melhor qualidade de vida possível no ambiente de trabalho.

 

 

Voltar para o Índice

 

  1. OBJETIVOS DA SEGURANÇA DO TRABALHO

As atividades de segurança do trabalho numa organização possuem vários objetivos dentre os quais podemos destacar:

 

Evitar acidentes e doenças relacionadas a atividade profissional;

Eliminar as condições inseguras de trabalho;

Preparar e conscientizar o trabalhador sobre a prevenção de acidentes do trabalho;

Cumprir a legislação e requisitos legais;

Estabelecer melhores condições físicas e psíquicas no trabalho;

Melhor as condições de eficiência e de produtividade no ambiente de trabalho.

 

Voltar para o Índice

 

  1. O QUE FAZ A SEGURANÇA DO TRABALHO?

A segurança do trabalho desenvolve várias atividades voltadas para prevenção e preservação da saúde dos trabalhadores, dentre elas podemos citar:

 

Aplica os conhecimentos de engenharia de segurança e de medicina do trabalho ao ambiente de trabalho e a todos os seus componentes, inclusive máquinas e equipamentos, de modo a reduzir até eliminar os riscos ali existentes à saúde do trabalhador;

Determina, quando esgotados todos os meios conhecidos para a eliminação do risco e este persistir, a utilização, pelo trabalhador, de Equipamentos de Proteção Individual – EPI;

Colabora, quando solicitado, nos projetos e na implantação de novas instalações físicas e tecnológicas da empresa;

Promove a realização de atividades de conscientização, educação e orientação dos trabalhadores para a prevenção de acidentes do trabalho e doenças ocupacionais, tanto através de campanhas quanto de programas de duração permanente;

Esclarece e conscientiza os empregadores sobre acidentes do trabalho e doenças ocupacionais, estimulando os em favor da prevenção.

 

Voltar para o Índice

 

  1. IMPORTÂNCIA DA SEGURANÇA DO TRABALHO

A importância da segurança no ambiente de trabalho está diretamente relacionada a qualidade de vida dos trabalhadores, por meio da eliminação ou controle dos riscos a sua saúde.

 

É difícil mensurar a importância da segurança do trabalho, uma vez que a saúde e bem estar do trabalhador não tem preço.

 

Colaboradores saudáveis em um ambiente de trabalho segura e agradável produzirão mais e com melhor qualidade.

 

Além do aumento produtivo, investimento na segurança do trabalho levam a evitar gastos decorrentes de acidentes e doenças do trabalho.

 

Investimentos em segurança do trabalho demonstram que a organização está consciente da sua responsabilidade social e que valoriza seus colaboradores.

 

Investir em segurança aumenta o grau de conscientização dos empregados e melhora o relacionamento entre eles.

 

A conscientização e o treinamento em segurança do trabalho são fatores importantes na gestão organizacional, pois capacitam os empregados para o desempenho de suas funções no que diz respeito aos riscos inerentes a cada processo, além de ressaltar a importância de seguir os procedimentos de trabalho sem “queimar etapas” e sem se expor aos riscos.

 

Os treinamentos propiciam padronização de procedimentos, corrige desvios e, com isso, previne os acidentes de trabalho e melhoram os resultados produtivos.

 

 

Voltar para o Índice

 

  1. LEGISLAÇÃO SOBRE SEGURANÇA DO TRABALHO

As atividades da Segurança do trabalho são regulamentadas pela Portaria GM n.º 3.214 do Ministério do Trabalho.

 

A Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 estabelece as Normas Regulamentadoras, as chamadas NR’s.

 

As NR’s normatizam as atividades da segurança do trabalho no ambiente organizacional.

 

As Normas Regulamentadoras, são de observância obrigatória pelas empresas privadas e públicas e pelos órgãos públicos da administração direta e indireta, bem como pelos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário, que possuam empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho.

 

 

Voltar para o Índice

 

  1. CONCEITO LEGAL DE ACIDENTE DO TRABALHO

A definição é dada pela Lei Nº 8.213, de 24 de julho de 1991, que dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências.

 

7.1 DEFINIÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO

Acidente do trabalho é aquele que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço de empresa ou de empregador doméstico ou pelo exercício do trabalho dos segurados do INSS, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte ou a perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho.

 

Também são consideradas acidentes de trabalho as seguintes enfermidades:

 

Doenças profissional;

Doenças do trabalho.

7.2 DOENÇA PROFISSIONAL OU OCUPACIONAL

Doença profissional é a doença produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalho, peculiar à determinada atividade e constante da relação elaborada pela Previdência Social.

 

7.3 DOENÇA DO TRABALHO

Doença do trabalho é a doença adquirida ou desencadeada em função de condições especiais em que o trabalho é realizado e que com ele se relacione diretamente.

 

 

Voltar para o Índice

 

  1. CONCEITO PREVENCIONISTA DO ACIDENTE DE TRABALHO

Dentro do conceito prevencionista, acidente de trabalho é qualquer ocorrência não programada, inesperada ou não, que interfere ou interrompe a realização de uma determinada atividade, trazendo como consequência isolada ou simultânea a perda de tempo, danos materiais ou lesões.

 

A diferença entre os dois conceitos reside no fato de que para o conceito legal é necessário haver lesão física, enquanto que no conceito prevencionista são levadas em consideração, além das lesões físicas, a perda de tempo e de materiais.

 

Para o profissional prevencionista, mesmo um acidente sem lesão é muito importante, pois, durante a análise das suas causas surgirão medidas capazes de impedir sua repetição ou agravamento, isto é, um acidente com lesão.

 

 

Voltar para o Índice

 

  1. CAUSAS DOS ACIDENTES DO TRABALHO

Os acidentes podem ser causados pelos atos inseguros do empregado ou pelas condições inadequadas de trabalho.

 

9.1 ATOS INSEGUROS

Atos inseguros são as ações indevidas ou inadequadas cometidas pelos empregados, podendo gerar acidentes.

 

Exemplo: negligência com as normas de segurança, falta do uso do EPI (Equipamento de Proteção Individual), não observação das placas de segurança e atividades de risco sem análise de risco.

 

9.2 CONDIÇÕES INADEQUADAS

Condições inseguras são aquelas presentes no ambiente de trabalho que podem vir a causar um acidente.

 

Podendo estar ligada direta ou indiretamente ao trabalhador, ou seja, é uma situação em que o ambiente pode proporcionar riscos de acidentes do trabalho.

 

Exemplos: partes móveis de equipamentos sem proteção, trabalho em altura sem o equipamento adequado, falta de inspeção de rotina em equipamentos, além de vazamentos e transbordos em tanques.

 

 

Voltar para o Índice

 

  1. CONSEQUÊNCIAS DOS ACIDENTES DO TRABALHO

Todos perdem com a ocorrência de um acidente de trabalho, ou seja:

 

o indivíduo pode sofrer diversas perdas, dentre elas: lesões, incapacidades, afastamentos, diminuição do salário, desamparo à família, etc.;

a empresa poderá sofrer perdas financeiras em função do tempo perdido, diminuição da produção, danos às máquinas, materiais ou equipamentos, gastos com primeiros socorros, gastos com treinamento para substitutos, atraso na produção e aumento de preço no produto final); e

o Estado, que somos todos nós pagadores de impostos, também terá prejuízos com os acidentes em função do acúmulo de encargos assumidos pela Previdência Social (afastamentos temporários e aposentadorias precoces por incapacidade laborativa) e perda de mão de obra produtiva.

 

Voltar para o Índice

 

  1. MEDIDAS PREVENTIVAS

As medidas preventivas fazem parte da pratica da segurança preventiva, e visam evitar que uma pessoa ou grupo de pessoas se contaminem, adoeçam, sofram acidentes, traumas, etc, em função da sua pratica laboral.

 

Algumas medidas preventivas tomamos em casa e nem temos consciência:

 

colocar remédios em locais altos quando há crianças em casa;

tirar animais e tapetes quando há pessoas alérgicas,

procurar se sentar e deitar corretamente,

colocar tapetes anti-derrapantes em casa quando há idosos, etc.

As ações ou medidas preventivas adotadas na segurança do trabalho podem ser de caráter técnico, administrativas, educativas, de engenharia, organizacionais, higiene do trabalho, ambientais, etc.

 

Segundo Antônio Castro Diniz (2005), a prevenção dos acidentes deve ser realizada através de medidas gerais de comportamento, eliminação de condições inseguras e treinamento dos empregados, devendo o uso dos EPI’s ser obrigatório, havendo fiscalização em todas as atividades, sendo os empregados treinados quanto ao seu uso correto.

 

As tarefas devem ser previamente avaliadas, os riscos e os padrões de trabalho identificados e todos devem ser responsáveis pela segurança e prevenção dos acidentes.

 

11.1 EXEMPLO DE MEDIDAS PREVENTIVAS

Identificação e tratamento de riscos ambientais;

Eliminação ou controle de condições inseguras;

Uso de Equipamentos de Proteção Coletiva – EPC.

Uso de Equipamentos de Proteção Individual – EPI;

Medidas de conscientização e adoção de comportamentos seguros

Treinamento;

Fiscalização.

 

Voltar para o Índice

 

  1. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EPI

Equipamento de Proteção Individual é todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.

 

A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento, quando as circunstâncias de trabalho exigirem.

 

Aquelas atividades profissionais que possam propiciar algum tipo de risco a saúde do trabalhador devem ser cumpridas com o auxílio de EPIs – Equipamentos de Proteção Individual, que incluem óculos, protetores auriculares, máscaras, mangotes, capacetes, luvas, botas, cintos de segurança, protetor solar e outros itens de proteção.

 

A utilização dos EPI’s é de fundamental importância na prevenção dos acidentes, pois muitas vezes, as medidas de controle relativas ao ambiente não são suficientes para eliminar os riscos.

 

 

Voltar para o Índice

 

  1. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA EPC

Equipamentos de Proteção Coletiva ou EPCs são dispositivos de segurança utilizados para proteção de trabalhadores durante realização de suas atividades. Diferente do EPI, o EPC visa a proteção de um grupo de pessoas que possam estar expostas aos mesmos riscos ambientais.

 

Visa neutralizar a ação dos agentes ambientais nocivos existentes, evitando acidentes, protegendo contra danos à saúde e a integridade física dos trabalhadores.

 

Juntamente com os equipamentos de proteção individual, atuam os equipamentos de proteção coletiva na prevenção dos acidentes. EPC’s são os equipamentos que neutralizam o risco na fonte.

 

Quando instalada, por exemplo, uma proteção acústica, está havendo uma atuação sobre o ambiente de trabalho, sendo esta medida chamada de proteção coletiva, pois protege o conjunto de trabalhadores.

 

Exemplos de Equipamentos de Proteção Coletiva:

 

Exaustores para gases e vapores;

Sistema de purificação do ar;

Protetor de partes moles das máquinas;

Placas sinalizadoras;

Piso antiderrapante; e

Etc.

 

Voltar para o Índice

 

  1. QUEM SÃO OS RESPONSÁVEIS PELA SEGURANÇA DO TRABALHO?

Nesse sentido, existe uma estrutura no poder público que, em consonância com os representantes dos empregadores e empregados (comissão tripartite), elabora normas aplicáveis à área de segurança e saúde do trabalhador, bem como fiscaliza as empresas para o cumprimento dessas normas.

 

Cabe ao empregador cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho e instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentes de trabalho ou doenças ocupacionais, constituindo contravenção penal por parte da empresa que deixar de cumprir as normas de segurança.

 

Com base no exposto anteriormente, fica explícito que não basta as empresas apenas fornecerem equipamentos de proteção individual, educar e treinar seus funcionários, é necessário que elas estejam atentas ao cumprimento do que foi proposto e se suas ações estão sendo eficazes.

 

Cabe aos empregados observarem as normas de segurança e medicina do trabalho, colaborar com a empresa na aplicação dos dispositivos de segurança no trabalho, constituindo até ato faltoso (justa causa) a recusa injustificada à observância das instruções expedidas pelo empregador e ao uso dos equipamentos de proteção individual fornecidos pela empresa.

 

Os empregados devem ter ciência de que eles são os mais afetados por uma

deficiência na prevenção, por isso não é lógico o descumprimento de normas e procedimentos estabelecidos.

 

 

Voltar para o Índice

 

  1. RESUMO DAS RESPONSABILIDADES

Todos têm uma certa parcela de responsabilidade na prevenção: O poder público, em sua tarefa de legislar sobre o tema e fiscalizar seu cumprimento, o empregador ao cumprir e fazer cumprir as normas estabelecidas e os trabalhadores, ao seguirem as instruções determinadas.

 

  1. PODER PÚBLICO

Cabe ao poder público:

 

  1. a) legislar sobre o tema – Criar leis sobre o assunto;

 

  1. b) adotar medidas necessárias à fiel observância dos preceitos legais e regulamentares sobre segurança do trabalho;

 

  1. c) impor as penalidades cabíveis por descumprimento dos preceitos legais e regulamentares sobre segurança do trabalho;

 

  1. CABE AO EMPREGADOR
  2. a) cumprir e fazer cumprir as disposições legais e regulamentares sobre segurança e medicina do trabalho;

 

  1. b) elaborar ordens de serviço sobre segurança e saúde no trabalho, dando ciência aos empregados por comunicados, cartazes ou meios eletrônicos;

 

  1. c) informar aos trabalhadores:

 

  1. os riscos profissionais que possam originar-se nos locais de trabalho;

 

  1. os meios para prevenir e limitar tais riscos e as medidas adotadas pela empresa;

 

III. os resultados dos exames médicos e de exames complementares de diagnóstico aos quais os próprios trabalhadores forem submetidos;

 

  1. os resultados das avaliações ambientais realizadas nos locais de trabalho.

 

  1. d) permitir que representantes dos trabalhadores acompanhem a fiscalização dos preceitos legais e regulamentares sobre segurança e medicina do trabalho;

 

  1. e) determinar procedimentos que devem ser adotados em caso de acidente ou doença relacionada ao trabalho.

 

  1. CABE AO EMPREGADO
  2. a) cumprir as disposições legais e regulamentares sobre segurança e saúde do trabalho, inclusive as ordens de serviço expedidas pelo empregador;

 

  1. b) usar o EPI fornecido pelo empregador; c) submeter-se aos exames médicos previstos nas Normas Regulamentadoras – NR;

 

  1. d) colaborar com a empresa na aplicação das Normas Regulamentadoras – NR.

 

 

Voltar para o Índice

 

  1. SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO TRABALHO – SESMT

Os Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT) são constituídos por profissionais com formação na área de prevenção de acidentes e doenças ocupacionais, sendo eles os responsáveis, entre outras funções, por aplicar o conhecimento técnico em benefício da qualidade do ambiente de trabalho.

 

Profissionais dos SESMT:

 

Técnico Segurança do Trabalho;

Engenheiro Segurança do Trabalho;

Auxiliar Enfermagem. do Trabalho;

Enfermeiro do Trabalho; e

Médico do Trabalho.

  1. a) Atuação do engenheiro e técnico segurança do trabalho:

 

Em geral o engenheiro e o técnico de segurança atuam em empresas nas tarefas a seguir:

 

Organizando programas de prevenção de acidentes;

Orientando a CIPA e os trabalhadores quanto ao uso de equipamentos de proteção individual;

Elaborando planos de prevenção de riscos ambientais;

Fazendo inspeção de segurança, laudos técnicos e ainda organizando e dando palestras e treinamento.

Muitas vezes esse profissional também é responsável pela implementação de programas de meio ambiente na empresa.

 

  1. b) Atuação do médico e enfermeiro do trabalho:

 

O médico e o enfermeiro do trabalho dedicam-se a parte de saúde ocupacional nas seguintes tarefas:

 

Prevenindo doenças;

Fazendo consultas médicas;

Tratando ferimentos;

Ministrando vacinas;

Fazendo exames de admissão, periódicos e demissionais.

16.1 DIMENSIONAMENTO DO SEMST

A composição, as atribuições e o dimensionamento dos profissionais da área de segurança do trabalho das empresas estão estabelecidos na NR 04 ( Normas Regulamentadora Número 4 – Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978).

 

As empresas privadas e públicas, os órgãos públicos da administração direta e indireta e dos poderes Legislativo e Judiciário, que possuam empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho – CLT são obrigados a manterem Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, com a finalidade de promover a saúde e proteger a integridade do trabalhador no local de trabalho.

 

O dimensionamento dos Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho vincula-se à gradação do risco da atividade principal e ao número total de empregados do estabelecimento, constantes dos Quadros I e II, anexos, observadas as exceções previstas na NR 4, Quadro I (Relação da Classificação Nacional de Atividades Econômicas – CNAE, com correspondente Grau de Risco – GR) e do Quadro II (Dimensionamento do SESMT).

 

 

Voltar para o Índice

 

  1. PROFISSIONAIS DA SEGURANÇA DO TRABALHO

Para orientar, auxiliar e assessorar as empresas no cumprimento das leis e normas de segurança e saúde no trabalho, existem vários profissionais que agem separadamente ou de forma conjugada em setores específicos das empresas.

 

Esses profissionais compõem o chamada Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho.

 

O Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, conhecido pela sigla SESMT, é uma equipe de profissionais especializados em segurança e medicina do trabalho composta por:

 

Técnico Segurança do Trabalho;

Engenheiro Segurança do Trabalho;

Auxiliar Enfermagem. do Trabalho;

Enfermeiro do Trabalho; e

Médico do Trabalho.

17.1 MÉDICO DO TRABALHO

Médico portador de curso em nível de pós graduação em Medicina do Trabalho ou portador de certificado de residência médica em área relacionada á saúde do trabalhador.

 

17.2 ENGENHEIRO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

Engenheiro de Segurança – Engenheiro ou arquiteto portador do curso em nível de pós graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho.

 

17.3 TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

Técnico em Segurança do Trabalho – Portador de certificado de conclusão de curso técnico em segurança do trabalho, ministrado por instituição especializada reconhecida e autorizada pelo Ministério da Educação.

 

17.4 ENFERMEIRO DO TRABALHO

Profissional com nível superior de Enfermagem com especialização em Enfermagem do Trabalho.

 

17.5 TÉCNICO EM ENFERMAGEM DO TRABALHO

Profissional com nível médio de Técnico em Enfermagem com especialização em Enfermagem do Trabalho.

 

17.1 AUXILIAR ENFERMAGEM DO TRABALHO.

Profissional com Nível Médio de Auxiliar de Enfermagem com especialização em Enfermagem do Trabalho.

 

 

Voltar para o Índice

 

  1. CIPA – COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

Além do SESMT, as empresas contam com o auxilio da CIPA para a elaboração dos programas de prevenção e preservação da saúde dos colaborardes.

 

A CIPA foi criada na década de 1940, pelo Governo Federal, com o objetivo de reduzir o grande número de acidentes de trabalho nas indústrias.

 

O objetivo dessa união é encontrar meios e soluções capazes de oferecer mais segurança ao local de trabalho e ao trabalhador.

 

A CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, é uma comissão interna de segurança composta por representantes do empregador e dos empregados, especialmente preparados para colaborar na prevenção de acidentes.

 

A CIPA tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador.

 

A composição da CIPA será de  acordo com o dimensionamento previsto no Quadro I da NR 5 da Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978), ressalvadas as alterações disciplinadas em atos normativos para setores econômicos específicos.

 

A CIPA considera que o acidente de trabalho é fruto de causas que podem ser eliminadas ou atenuadas.

 

O cipeiro é o elo de ligação entre o empregador, o SESMT e os empregados.

 

É ele que, por estar presente nos locais de trabalho, participar dos levantamentos dos riscos existentes e discutir os acidentes ocorridos, assume grande importância nas atividades de prevenção da empresa.

 

 

Voltar para o Índice

 

  1. PROGRAMAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO

A segurança do trabalho, para cumprir com seus objetivos, desenvolve e mantem vários programas de prevenção voltados a segurança do trabalhador. Dentre eles destacamos:

 

19.1 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

PPRA – Programa de Prevenção de Ricos Ambientais  – programa que visa a antecipação, reconhecimento, avaliação e controle de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho.

 

19.2 PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO E SAÚDE OCUPACIONAL

PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional é um programa de saúde relacionado ao monitoramento das condições de saúde do trabalhador, através de exames médicos, frente aos riscos existentes no ambiente de trabalho.

 

19.3 MAPA DE RISCOS AMBIENTAIS

Mapa de riscos é uma representação gráfica dos pontos de riscos encontrados nos locais de trabalho, capazes de causar prejuízo à saúde dos trabalhadores.

 

É uma maneira fácil e rápida de representar os riscos de acidentes de trabalho.

 

O mapeamento de riscos permite a identificação de locais perigosos localizando pontos ainda vulneráveis da empresa e ajuda a desenvolver atitudes mais cautelosas por parte daqueles que estão expostos a esses riscos.

 

Como identifica riscos, o mapa auxilia o profissional a encontrar soluções que irão contribuir para a eliminação e/ou controle dos riscos detectados.

 

19.4 QUEM ELABORA?

Uma das atribuições da CIPA é “identificar os riscos do processo de trabalho, e elaborar o mapa de riscos, com a participação do maior número de trabalhadores, com assessoria do SESMT.

 

Portanto, a participação das pessoas expostas ao risco no dia a dia, mais do que necessária, é muito importante, pois esses trabalhadores irão fornecer informações importantes sobre a situação do ambiente de trabalho.

 

Essa atividade fará com que eles se motivem e se sintam valorizados, demonstrando o interesse da empresa na prevenção.

 

Para o empregador, o mapa pode facilitar na elaboração de soluções práticas de melhoria do ambiente de trabalho.

 

Ao SESMT cabe colaborar com a CIPA, fornecendo o maior número de informações possíveis e auxiliando na elaboração dos mapas.

 

Cabe ao empregador fornecer as condições necessárias para a realização do mapeamento de riscos ambientais e, posteriormente, afixá-lo em local visível.

 

19.4 DIÁLOGO DIÁRIO DE SEGURANÇA

DDS – Diálogo Diário de Segurança – são palestras curtas e diárias sobre assuntos relacionados a segurança do trabalho, com objetivo de conscientizar os colaboradores sobre a importância do seu comprometimento com as medidas de segurança.

 

19.5 PALESTRAS DE INTEGRAÇÃO

Palestras de Integração são palestras ministradas aos colaboradores, prestadores de serviço recém-contratados e visitantes , a fim de familiarizá-lo com o ambiente da organização e os procedimentos de segurança.

 

19.6 ORDEM DE SERVIÇO

A Ordem de Serviço é um documento que visa informar o funcionário dos riscos da sua função e das medidas preventivas que deverão ser adotadas por ele.

 

 

Voltar para o Índice

 

  1. SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA DO TRABALHO

Gestão refere-se ao processo de se conseguir obter resultados (objetivos) com a participação de outras pessoas.

 

Pressupõem a participação de varias pessoas numa determinada atividade visando o atingimento de um objetivo comum.

 

Refere- se ao processo de fixar objetivos e metas, e de determinar e orientar o caminho a ser seguido para seu atingimento, envolve decisões, comunicação, liderança e avaliações.

 

Exercer uma boa gestão de segurança do trabalho é uma das principais preocupações dos gestores, pois minimiza possibilidade de ocorrência de acidentes e doenças do trabalho.

 

A gestão da segurança do trabalho refere-se a um conjunto de práticas administrativas preventivas destinadas à melhoria do ambiente de trabalho, prevenção de ocorrência de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais e proteção à integridade e capacidade do trabalhador.

 

PROCESSO DA GESTÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

A gestão da segurança, de forma resumida, envolve quatro grandes processos.

 

planejamento;

organização;

liderança;

controle.

  1. a) Planejamento – processo de determinar antecipadamente o que fazer?, por que fazer?, onde fazer?, quando fazer?, por quem será feito?, como será feito? e quanto vai custar?. Visa facilitar e maximizar o processo de tomada de decisão, pois permitem a tomada de decisões mais assertivas.

 

  1. b) Organização – envolvendo a combinação e integração de recursos humanos, administrativos, físicos e financeiros, para atingir os objetivos propostos.

 

  1. c) Liderança – Se resume na capacidade de influenciar as pessoas para fazerem o que tem que ser feito para se atingir os objetivos estabelecidos.

 

  1. d) Controle – processo de comparação da condição atual com valores e metas previamente definidas, visa apontar desvios e implementação de eventuais ações corretivas para se atingir os objetivos propostos no planejamento.

 

 

Voltar para o Índice

 

  1. QUAIS AS PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE SEGURANÇA DO TRABALHO?

A seguir respostas as principais dívidas sobre segurança do trabalho:

 

21.1 O QUE É SEGURANÇA DO TRABALHO?

Segurança do trabalho é um conjunto de políticas, normas, procedimentos, atividades e práticas preventivas, que devem ser adotadas com o objetivo de melhorar o ambiente laboral e prevenir acidentes do trabalho e doenças ocupacionais.

 

21.2 QUAIS OS OBJETIVOS DA SEGURANÇA DO TRABALHO?

Evitar acidentes e doenças relacionadas a atividade profissional;

Eliminar as condições inseguras de trabalho;

Preparar e conscientizar o trabalhador sobre a prevenção de acidentes do trabalho;

Cumprir requisitos legais;

Estabelecer melhores condições físicas e psíquicas no trabalho;

Melhor as condições de eficiência e de produtividade no ambiente de trabalho.

21.3 QUAL A SUA FINALIDADE DA SEGURANÇA DO TRABALHO?

Tem a finalidade de evitar que o acidente de trabalho ocorra, ou seja, aquilo que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte, perda ou redução permanente ou temporária da capacidade para o trabalho.

 

21.4 QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS ATIVIDADES DA SEGURANÇA DO TRABALHO?

melhorias no ambiente labora buscando a eliminação ou controle dos riscos ambientais;

prevenção de acidentes do trabalho;

promoção da saúde ocupacional;

promoção de cursos e treinamentos;

elaboração de documentos técnicos, elaboração de pericias trabalhistas;

consultoria ou assessoria as organizações e sua administração.

21.5 PARA QUE SERVE SEGURANÇA DO TRABALHO?

A segurança do trabalho serve para promover ações administrativas e operacionais visando a proteção do trabalhador em seu local de trabalho, buscando a redução de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais

 

21.6 QUAL A IMPORTÂNCIA DA SEGURANÇA DO TRABALHO?

A importância da segurança no ambiente de trabalho esta diretamente relacionada a qualidade de vida dos trabalhadores, por meio da eliminação ou controle dos riscos a sua saúde. Colaboradores saudáveis em um ambiente de trabalho segura e agradável produzirão mais e com melhor qualidade.

 

21.7 O QUE É O QUE FAZ O TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO?

O técnico em Segurança do Trabalho é o profissional portador de certificado de conclusão de curso técnico em segurança do trabalho, ministrado por instituição especializada reconhecida e autorizada pelo Ministério da Educação, credenciado e contratado para exercer as atividades técnicas ligadas a segurança do trabalho..

 

  1. VOCÊ GOSTOU? SEM SIM, COLABORE COM O CRESCIMENTO DO BLOG

Para continuar publicando e disponibilizando os artigos de forma gratuita a todos, solicito a você leitor ou leitora, que ajude na divulgação e crescimento do blog, fazendo pelo menos uma das práticas a seguir:

 

Deixe seu comentário no final do artigo, ele é muito importante para nós;

Divulgue, curta e compartilhe as publicações com seus amigos pelas redes sociais;

Leia mais um artigo, essa prática nos ajuda muito;

Inscreve-se na nossa Newsletter.

Convido você a se inscrever para acompanhar as publicações do nosso blog, os links para cadastro estão na lateral do blog para acessos com desktop ou logo abaixo para acessos com celular.

 

Obrigado pelo tempo disponibilizado na leitura de nosso artigo, espero que tenha sido útil pra você!

 

Forte abraço e sucesso!

 

PROJETARMED

 

Acesse o botão a seguir e você encontrará uma lista de posts relacionados ao tema desse post, que lhe serão muito úteis como leitura complementar a esse assunto.

 

23. Dados para Citação em Trabalhos

MARCONDES, José Sérgio (22 de agosto de 2016). Segurança do Trabalho, O que é, Importância, Atividades, Como Funciona. Disponível em Blog Gestão de Segurança Privada: https://gestaodesegurancaprivada.com.br/seguranca-do-trabalho-conceito/> – Acessado em (inserir data do acesso).

 

24. Referencias Bibliográficas

DECRETO-LEI N.º 5.452, DE 1º DE MAIO DE 1943 – CLT – Consolidação das Leis do Trabalho.LEI Nº 8.213, DE 24 DE JULHO DE 1991 – Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências.

PORTARIA N.° 3.214, 08 DE JUNHO DE 1978  – Ministério do Trabalho -Aprova as Normas Regulamentadoras – NR.Site da Fundacentro – Instituição de pesquisa e estudos atinentes à segurança, higiene e medicina do trabalho, vinculada ao Ministério do Trabalho.

DINIZ, Antônio Castro. Manual de Auditoria Integrado de Saúde, Segurança e Meio Ambiente (SSMA). 1. ed. São Paulo: VOTORANTIM METAIS, 2005.

SISTEMA DE GESTÃO VOTORANTIM. Manual do Observador. 1.ed. Juiz de Fora: VOTORANTIM METAIS, 2005.

CONFUSO COM UM TERMO MÉDICO ?

Verifique em nossos menu de Serviços !